Eleições 2010: o efeito Lula

Vai começar o horário eleitoral gratuito na televisão e por todo o Brasil as campanhas eleitorais estão a todo vapor. A menos de 2 meses para o pleito, o maior destaque é, sem dúvida, a disputa pelo cargo de presidente da república. Quem será o novo (ou nova) presidente?... E desta vez, com a participação de duas grandes mulheres.

efeito-lula

Sem querer lembrar (e já lembrando) da pesquisa Datafolha que colocou a ex-ministra Dilma Rousseff 8 pontos à frente de José Serra na disputa pelo cargo (e tambem da mais recente do Ibope que a endossou), eu ainda vejo esses dois candidatos com mais chances nas preferências dos eleitores. Porém, há uma condição nova nessa briga: Dilma Rousseff pode resolver a eleição já no 1º turno. E a pergunta é: porque?

A resposta é na verdade uma teoria que eu tenho (cada um faça a sua ok!). Vejo assim: na medida em que se aproxima o dia de votar e, a despeito do fato da Dilma ser uma mulher sem carisma, a população está conhecendo mais a candidata como "a mulher de Lula". A mulher que representa o Lula. O outro fato é que a população tambem está identificando o José Serra como o candidato da oposição. Ou seja, Serra seria o "anti-Lula".

Então, mais um motivo para que isso aconteça no 1º turno é o fato de que há uma desarticulação na campanha dos tucanos. Está ficando maior e mais evidente a cada dia, que os candidatos do partido que disputam cargos nos estados, não querem se comprometer com o apoio aberto à Serra, pois estão receosos de ter prejuízos em suas próprias candidaturas.

Resumindo, isso é "o efeito Lula". Melhor dizendo, a imensa popularidade do presidente impulsiona a sua candidata governista e assusta os seus adversários de tal maneira que, numa linguagem mais simples, a melhor pergunta seria: "Se o Brasil está bem e há empregos, se o negócio está bom e a vida está boa então, por que mudar tudo?..."

Melhor dar continuidade. :-)

11 Comentários:

Daniel disse...

Sabe o que mais me assusta nisso tudo, é esse efeito Lula! Se Dilma ganhar pela graça e obra de ser a "candidata do Lula", abre-se aí um precendente: Lula é maior que o Brasil! Ou seja, é um ser que virou um "semi-Deus" e que ditará direta e após janeiro de 2011, indiretamente os designos políticos do País, e isso é muito perigoso! Não me é nada interessante a motivo da "continuidade" dar tal poder a um homem, melhor explicando, é um deserviço transformar Lula em um Mito... Fica as perguntas e as quero que responda: Como será o Governo de Dilma tendo Lula como sua sombra. Quais são as garantias de que será ela a mandar. Será que ao final de 2014 ainda terá reeleição no Brasil. Será bom para o Pais que o poder politico seja do partido de "um mito"

http://submundosemmim.blogspot.com

Daniel disse...

Meu voto é da Marina, e sinceramente, espero que até 2014 nasça alguma força política que possam fazer frente aos irmãos gêmeos PT e PSDB. Caro amigo Neto, tenho que lhe confessar, estou com medo dos designos políticos pós-Lula. Tem texto novo no Sub Mundos. Um abraço.

http://submundosemmim.blogspot.com

Daniel Savio disse...

Para mim é complicado, pois a eleição nem começou (pois qualquer ato pode criar profunda mudanças)...

Fique com Deus, menino Neto.
Um abraço.

Jurema Cappelletti disse...

Neto, a situação está boa de acordo com a visão de um povo que vem sendo encaminhado a ser cada vez mais acomodado.

A situação do brasileiro atual é mais ou menos como a história de duas famílias pobres que moram na mesma rua, perto de um ricaço que tem um casarão. Um dia, o ricaço resolve ajudar uma das familias e passa a lhes dar alguns alimentos e um dinheirinho todo final de mês.

Para a outra familia, oferece ao homem um bom emprego em sua empresa, e o ajuda a voltar aos estudos. Depois de um certo tempo, ele se forma e vai conseguindo cada vez melhores cargos na empresa. Compra um carro, depois consegue ter seu próprio imóvel.

Enquanto isso, a outra familia continua feliz com a ajuda mensal.

Um dia, o ricaço morre.

Pergunta> O rico empresário ajudou, de fato, a primeira família?

Um abração, Ju

Há um tempo atrás, a maioria das pessoas se sentiria constrangida pela falta de condições para se sustentar e ter que viver às custas do governo. Hoje, isso deixou de ser uma situação desagradável, porque foram moldados, sem perceber, para acatar a dependência.

J. Neto disse...

@Daniel
Com todo respeito à sua opinião e agradecendo seu comentário, eu lhe pergunto que, quem lhe 'garante' que será o Lula a mandar no país com a Dilma no governo?

Em tese, é assim que se pensa, mas quem lhe garante?

É um engano pensar que Dilma não saberá governar, assim como pode ser um erro pensar que ela não mandará ou que em 2014 ela não tente sua reeleição. Presidencia é assim. Uns gostam, outros não gostam e não gostarão, mas tem que tocar o barco. Não agrada a todos. É precipitado falar algo da candidata, pois o governo dela poderia se sair até melhor do que o de Lula - eu sei que a probabilidade atual é zero, mas... quem sabe do futuro?

E a mesma coisa poderia se dizer se fosse o Serra.

Presidir um país, a meu ver, alem de conhecimento, é imprescindivel e fundamental que a pessoa tenha personalidade e poder de decisão. Serão estas decisões que, para o bem ou para o mal, moldarão o destino de um país, e mostrarão a cara de seu governante.

Nos últimos anos, só tivemos presidentes homens, quem sabe com uma mulher não seja diferente.

E não acho que o Lula seria esse 'mito' de que fala. Após deixar a presidência, ele será apenas um ex-presidente - com a diferença de que foi um bom governante na ocasião e fez a sua parte. Política é ocasião não é? Outros surgirão.

Na vida, não devemos criar ou fomentar 'paranóias' sobre isso ou aquilo. Devemos apenas ter bom senso e critérios. Com isso é que as coisas ficam melhor.

J. Neto disse...

@Jurema

Sou daqueles que acredita que 'ninguem molda ninguem porque ninguem é molde'. (sic)

E, fora de brincadeiras, por n's motivos. Abraços

Roberto Hyra disse...

Neto

Conversando ontem com um amigo ontem sobre política, ele me perguntava se ainda existia a Direita no país, eu disse que a resposta à essa pergunta podia ser percebida no discurso que Lula deu na Fiesp para empresários. Ele falou: "É uma alegria imensa ver que está todo mundo se entendendo". Isto é um retrato da situação.

Não se deve glamourizar o presidente, mas tambem não se deve ser indiferente à ele. É impossivel fazer isso. Lula é o que de melhor apareceu nos últimos anos em termos de política. Ele é um craque nisso, e mesmo com seus acertos e erros como na política externa, ainda é um craque.

Acho que quem reclama dele ou de seu governo é porque aparentemente não está com uma vida boa. O Brasil vive hoje um grande momento, para trabalhadores, empresários, empreendedores, advogados, estudantes etc. Viver hoje nesse 'grande momento' após tantos anos de precariedade é uma condição excelente para os mais pobres. Nada a ver com esmolas ou votos de cabreto como insinuaram aí. Podemos mais? Podemos sim. E queremos mais. Vamos ter com a Dilma. Acho que quem não está hoje com uma vida boa é apenas porque não sabe, não quer, ou, na pior das hipóteses, é porque é burra mesmo. Hoje, dá pra todo mundo. he he

ZEPOVO disse...

A campanha de Serra já deu errado. A abordagem tentada, única possível, tinha um risco enorme, não criticar Lula!
Ao mesmo tempo precisava contar com a "não tranferência" de votos de Lula para Dilma, com uma alta rejeição popular ao nome de Dilma e com a teórica dificuldade que Dilma teria para se firmar como candidata.
Aécio já sabia de tudo...

MENEZES disse...

Neto, só um cego não enxerga a sede de poder nos olhos de Lula, enfatizada por sua auto-idolatria e soberba! E te digo mais está preparando o caminho para se perpetuar no poder como seus amiguinhos Fidel e Chaves! espere quatro anos e veremos o honesto se candidatando novamente!

Fábio Mayer disse...

Serra devia ser o anti-lula, como Lula foi o anti-plano real em 1998. Porque numa campanha tida como dificil ou praticamente perdida, se fortaleceria para a seguinte. Em 2002, o anti-plano real venceu, Serra teria melhores condições em 2014 se entendesse isso.

Se bem que nada garante que ele seja candiato em 2014.

Mas errou ao não afrontar Lula porque, pára qualquer pessoa de bom senso, se dois candidatos concordam com algo, fica-se com o que representa a continuidade... o famoso em time que ganha não se mexe!

Se Dilma incorrer no erro de fazer do seu governo um terceiro mandato de Lula, racha na primeira semana por conta do PMDB. Os petistas que não se iludam com a ascendência de Lula, Dilma tem personalidade e é capaz, não vai aceitar ser laranja de absolutamente ninguém!

Saramar disse...

Neto, boa noite.

Você explicou a questão mais importante desta eleição: "os candidatos não querem se comprometer...".
Ou seja, a idéia de partido político, no Brasil, é mera estratégia ilusionista quando se trata de programa político.
Partido político só existe para usufruir as bondades que a lei dispensa a estas corporações, em especial quando se trata de receber dinheiro público, seja para campanha, seja para pagar o "horário gratuito" nas emissoras de rádio e TV.
Na realidade, cada viralata está procurando uma carroça de benesses para seguir.
Infelizmente, nenhum político pensa nos cidadãos.

Postar um comentário

- Comente, é sempre bom saber sua opinião.
- Comentários ofensivos ou mal educados não serão publicados.
- Comentários anônimos serão publicados se relevantes.
- Para criticar, sugerir ou elogiar, vá aqui.