Caso Isabella e os Nardoni: Finalmente, a justiça!

Esta semana começa o julgamento do casal Nardoni acusados de assassinar friamente a menina Isabella Nardoni em 2008, jogando-a do sexto andar do prédio em que moravam (SP). Um caso que teve grande repercussão e virou comoção nacional. Eu estarei acompanhando passo a passo daqui este julgamento, cuja previsão é que se desenrole por quatro ou cinco dias, uma vez que eles (o casal) serão julgados por um júri popular.

Casal nardoni   Isabella e a mãe

O julgamento dos Nardoni tem tudo para ser um dos maiores já feitos no Brasil, porque sua decisão final pode mudar a história e o rumo da justiça no país - caso semelhante ocorreu com o de Suzanne von Richthofen. A defesa do casal irá tentar desfazer a tese de que eles são os assassinos desqualificando a perícia, mas o que instiga é que, se não foram eles os assassinos então quem foi?... Não há qualquer vestígio ou indício de uma terceira pessoa no apartamento do casal naquele dia fatídico.

A mãe da menina, Ana Carolina Cunha, acusa a madrasta de tê-la assassinada por ciúmes, porém, seja qual for o veredicto dado pelo júri ('culpado' ou 'inocente'), isto não trará a menina de volta. Isabella foi a maior vítima desse silêncio absurdo que impera nessas famílias de classe alta que, quando cometem seus erros, preferem escondê-los debaixo do tapete, e fingir para a sociedade que 'eles não existem', que eles são 'uma família perfeita' e etc. E esperar depois que o tempo abafe tudo.

11 Comentários:

Daniel Savio disse...

Sabe o que é pior Neto, a criança só morreu devido ao agravante de ter sido espacanda antes de ser lançada (ela não iria morrer na queda, apesar de se ela sobrevivesse não seria sem sequelas)...

Fique com Deus, menino Neto.
Um abraço.

Roberto Hyra disse...

Uma justiça que espera dois anos para tomar uma decisão, a mei ver apóia os assassinos.

É evidente que no decurso desse tempo e dada a passividade, a falta de memória e a tolerância ao perdão do povo brasileiro basta ver a cara de coitados e de arrependidos do casal Nardoni na TV (como quer a defesa) para se fazer um clamor de que devem ser inocentados.

Infelizmente, a justiça no país, ao invés de auxiliar, com sua lentidão, só atrapalha o processo. Em qualquer que seja o resultado final.

elisa disse...

Acredito que o casal seja condenado por unanimidade, não tem como fugir, a versão sustentada pela defesa é fraca. A tese não se sustenta.

O crime foi chocante, um horror, até hoje, quando leio os depoimentos da mãe da menina, me pego chorando... Tenho uma filha com a mesma idade de Isabella... Só Deus mesmo pra confortá-los!

Valdeir Almeida disse...

Neto,

Pelo que tenho acompanhado, não se trata de perseguição imprensa: a perícia coletou provas incontestáveis. Ainda assim, os acusados insistem em se declarar inocentes. Inutilmente.

Eu acho que eles vão tentar adiar o julgamente. Mas se fizerem isso, a opinião pública vai odiá-los ainda mais.

Abraços, Neto, e uma ótima semana pra você.

Irene disse...

Olá, Neto !!!!

Esse episodeo foi lamentável. Infelizmente, tivemos de encarar a realidade sobre alguns pais serem meramente reprodutores pq um pai de verdade jamais mataria a própria filha. Foi uma covardia cometida contra a menina que tinha um futuro brilhante.
Tbm vou acompanhar este julgamento. Estarei torçendo para que o casal seja condenado e punido. Precisamos de uma resposta do judiciário frente a um caso tão escandaloso e cruel.

Um grande abraço !
Tbm te admiro muito !

Fábio Mayer disse...

Permita-me discordar!

Os Nardoni, ou Suzane von Richtofen ou o cara que matou Leila Diniz, são criminosos comuns, há MILHARES iguais à eles, mas não com tanta mídia, todos condenados e mandados para as infectas prisões brasileiras.

A "justiça" brasileira só faz Justiça assim: ou com bagrinhos ou com gente envolta em um caso de mídia.

"Bacana" não vai preso no Brasil. Milhares de casos escabrosos de corrupção dão em nada, o dinheiro público roubado não volta aos cofres de direito, políticos processados se reelegem e usam dos seus cargos para obstruir a Justiça e assim vamos...

O Brasiol só poderá dizer que por aqui se faz Justiça quando os julgamentos de casos de corrupção forem céleres e altamente punitivos. Qualquer coisa fora disso é apenas um fato isolado, com pouco efeito na vida nacional

Neto disse...

@Daniel, Roberto, Elisa, Valdeir e Irene
Obrigados à todos pelos comentários!

@Fábio
Assino embaixo. Vindo de você e sabendo você quem é, como um lutador de uma justiça correta e eficiente, com certeza, não irei discordar.

Carlos Emerson Jr. disse...

O comentário do Fábio precede, meu caro: basta lembrar o caso do jornalista do Estadão que assassinou a amante e até hoje, 10 anos depois, ainda aguarda a sentença.

Quem tem dinheiro sempre se dá bem, infelizmente.

Um abração.

Daniel Moraes disse...

Enfim a justiça será feita. Tem texto novo no Sub Mundo. Bjus.

http://submundosemmim.blogspot.com

paulo disse...

Desde a muito eu perdi a confiança na justiça, é só pesquisar um pouco e se percebe que ela é mais justa para uns em detrimento de outros. Quem tem dinheiro para um bom advogado se livra fácil, fácil de uma condenação.
Será que este é mais um destes casos?

Abraço, Neto

@philipsouza disse...

Concordo com vc, Neto...mas ainda vai existir ainda muita impunidade em nosso país. Como o Fabio disse ainda faltam pessoas verdadeiras que não brinquem com a vida das pessoas, como os demais processos parados esperando resultado e so porque a midia aparece dao mais enfoque. Correto é, foi um direito a vida como milhares. E os outros como ficam???

condenados serão..com certeza..o que mais chama atençao é como não a provas, em todo o momento eles não denunciaram nem um e nem outro como ocorreu no caso RITSTHOFEN, mas esperar para ver..porque a Isabella ela ninguem tras mais...ate quando iremos ver isso???
bom isso so o tempo, quando nos mesmos dermos um basta,,,

abraçao

Postar um comentário

- Comente, é sempre bom saber sua opinião.
- Comentários ofensivos ou mal educados não serão publicados.
- Comentários anônimos serão publicados se relevantes.
- Para criticar, sugerir ou elogiar, vá aqui.