Um novo tempo, um novo Brasil

Segundo os dados da Fundação Getúlio Vargas sobre a economia do país, um total de 32 milhões de brasileiros saíram da zona do rebaixamento. Boa parte desse povo deixou os tempos dificeis para trás, e entraram nas classes A, B, e C. E o melhor desta notícia foi que, deste total, 20,9 milhões saíram das classes D e E, ou seja, da linha abaixo da pobreza e da miséria.

Brasil: avanço social na pobreza
O potencial de consumo da população, entre 2003 e 2008, também aumentou em 15%, e outra boa notícia divulgada é que o Bolsa Família (programa de governo do presidente Lula) responde por 17% na queda da desigualdade social no país, um mérito dele portanto.

Apesar que muita coisa ainda precise ser melhorada, principalmente na educação, na saúde e no emprego por exemplo, é visivel que houve uma evolução, e que estamos caminhando para um novo cenário social no país.

E mesmo sabendo que ainda há aqueles que prefiram não enxergar esses dados, o que estranhei foi o fato de a Veja e a TV Globo (os maiores influenciadores de opinião do povo), não terem dado sequer nenhuma importância à essas notícias... Mas, creio que todos já sabemos porque não?

6 Comentários:

Daniel disse...

Números não metem! Contudo, enquanto há evolução econômicamente falando, politicamente... Um abraço.

http://contesta-acao.blogspot.com

Valdeir Almeida disse...

Neto,

Eu tenho minhas ressalvas em relação ao governo Lula e aos programas sociais que ele desenvolvem. Mas é necessário dizer a verdade: o Bolsa Família sendo ou não um programa assistencialista eleitoreiro tem conseguido diminuir o índice das desigualdades sociais no Brasil.

O que torço agora é para que seja, de fato, implementado no programa a oferta de emprego como o governo prometeu.

Quanto à Veja e a Globo, sabemos que elas sempre omitem a verdade quando não é de interesse delas, não é?

Abraços.

Valdeir Almeida disse...

Olha,

Amigo,

Em primeiro lugar, muito obrigado por aderir à blogagem coletiva que meu blog esta promovendo.

Tenho certeza de que sua participação será muito valiosa.

Sobre a mensagem que você me enviou para o formulário, responderei assim que for possível, porque estou envolvido na blogagem. Mas responderei.

Um abraço e bom dia.

ZEPOVO disse...

pobre oposição.

Pâmela Rodrigues disse...

Desculpa Neto, mas não concordo tanto assim com números que acabam matando as estatístiscas quando o assunto entra na tributação e cia ltda. (rs).

Enfim, esses dados são marketing político, a saída da linha da miséria não marca melhora, até porque a miséria continua pros que saíram dela, apenas mudou seu foco.

Beijosss querido, saudade de conversar contigo.

ZEPOVO disse...

Os numeros são bons, mostram um novo Brasil, alguns ignoram outros fingem ignorar, mas quer saber, não importa!
A massa de brasileiros que melhorou sabe que melhorou, não são retardados, não precisam ler em lugar nenhum que estão comendo melhor e vivendo de maneira mais descente.
Não é de estranhar a popularidade de Lula.
O problema é que parte da mídia e alguns jornalistas perderam a noção de suas funções e se lambuzaram com o poder de influir na mente das pessoas. Esqueceram-se de que o poder que realmente existe, vem da ação constante de análises e opiniões verdadeiras e isentas. As pessoas comprovam e acreditam, até mudam de opinião. Mas quando mentirinhas são descobertas e o articulista se descuida com a isenção ou a própria verdade o leitor o deixa falando sozinho...
Quando certa mídia, durante a "década perdida tucana" falava que a economia melhorava e o povo via sua vida mais miserável que nunca as pessoas foram descobrindo que nem sempre o que esta bonito no papel é verdade.
Agora quando certa mídia fala que tudo está perdido, que a crise está ferrando com o Brasil e o povo percebe sua vida bem melhor, as pessoas comprovam que realmente o fato de estar muito bem escrito e apresentado não significa que seja real.
Depois vai lá e vota no Lula, quem sabe na Dilma e os barões mumificados de um certo Brasil não conseguem entender...

Postar um comentário

- Comente, é sempre bom saber sua opinião.
- Comentários ofensivos ou mal educados não serão publicados.
- Comentários anônimos serão publicados se relevantes.
- Para criticar, sugerir ou elogiar, vá aqui.