O golpe em Honduras e o desafio da política externa brasileira

Os recentes acontecimentos políticos em Honduras e o envolvimento do Brasil no caso poderão nos trazer problemas, mas também representam um ótimo desafio à política externa brasileira do presidente Lula.

O irresponsável Zelaya com o apoio do Brasil

Ao dar abrigo na nossa embaixada ao irresponsável ex-presidente Zelaya, este passou a usar a casa como palco para seus pronunciamentos, discursos, entrevistas à rádios e TVs, e a conclamar seguidores para resistir ao golpe. Isto colocou o Brasil numa situação delicada, formando um desafio para a sua liderança na América Latina perante a comunidade internacional.

É de se esperar, portanto, que o ministro Celso Amorim cobre de Zelaya uma postura mais discreta nos seus pronunciamentos, de modo que se busque em outros canais, através da OEA e ONU, uma solução pacífica para este imbróglio.

Na América Latina, ultimamente, todos os presidentes estão querendo mais tempo para seus mandatos, e alguns até já estão se perpetuando no poder como é o caso de El loco Hugo Chávez. A discussão de necessidades e temas internos em cada país faz parte do regime democrático é verdade mas, golpes, através de qualquer manipulação política é condenável.

Penso que Zelaya errou ao querer usar da "malandragem" para manipular a constituição hondurenha a seu favor, no entanto, o governo de Michelletti também errou ao expulsá-lo do país, pois deveria, no mínimo, tê-lo detido para que respondesse em juízo.

Agora que o Brasil está inserido no caso será necessário muita cautela do Itamaraty nesse 'rabo de foguete'. Mesmo assim, acho um bom desafio para que o pessoal do Itamaraty ponha em prática os anos aprofundados de estudo e profissionalismo que tiveram. Se é que ainda tem.

7 Comentários:

Daniel disse...

Jamais o Brasil poderia ter entrado nessa barca furada. Um abraco.

http://contesta-acao.blogspot.com

@philipsouza disse...

hahaaha agora falam..sai Lulinha....sai...affe como foi parar nisso...affe

abraços

Atila disse...

Sabe aquela expressão: Se o estupro é inevitável, o melhor a fazer é relaxar e tentar gozar?
O Brasil se meteu nessa de alegre, não deveriamos ter cedido a embaixada ao Zelaia, claro que, o governo (atual) hondurenho também, não deveria ter tomado o poder da forma como tomou. Mas tal situação nos põe a pensar no que deveria ser feito, ja estamos no meio da pista e a musica esta rolando. Temos mesmo que dançar o tango? ou quem sabe a salsa, enfim, acho que já que estamos onde estamos a primeira medida é, mandar tropas do exercito para proteger a embaixada, o edificio e o embaixador (e sua equipe). Quanto ao Zelaia, dar um prazo para que ele resolva esta situação, caso contrario ele será trazido ao Brasil e daqui criar situações de conversa com o governo atual, deixa-lo lá, na nossa embaixada só irá incitar mais violência naquele país, sem contar que não nos trará nenhum beneficio politico, manter nossa embaixada no meio do fogo cruzado é irresposável. Mas ja que estamos no inferno, vamos dançar um tango ou uma salva e rezar que o estupro não seja contra nós!
Ps; respodido no só pensando e deixo a ti o encargo de situar as 10 coisas que mais detesta com o compromisso de passar a bola adiante.
Um abraço amigo, pode contar comigo também Ok!

Éverton Vidal Azevedo disse...

Neto, nesta eu discordo de você. Por mais irresponsável que seja Zelaya ele é o presidente, e acho que o Brasil como o principal país da América Latina nao fez mais do que a sua obrigaçao. Acho que a gente precisa parar um pouco de pensar só no nosso "pedaço", o mundo é feito de relaçoes.

Infelizmente tem grana americana por baixo dos panos ou financiando os panos. E a coisa nao vai ficar por aí nao.

Éverton Vidal Azevedo disse...

Ah, e desculpe a demora pra responder, tenho andado meio offline rs, eu nao tenho canal no youtube nao (nao que eu saiba), tenho uma conta lá onde postei alguns vídeos só.

Éverton Vidal Azevedo disse...

Ah, e desculpe a demora pra responder, tenho andado meio offline rs, eu nao tenho canal no youtube nao (nao que eu saiba), tenho uma conta lá onde postei alguns vídeos só.

Carlos Emerson Jr. disse...

O grande problema do Itamaraty é ter dois chanceleres, um oficial, o Celso Amorim e o "oficioso", o Sargento Garcia.

Entramos numa furada por causa de uma droga de país e vamos sair arranhados, qualquer que seja o resultado.


Um abração.

Postar um comentário

- Comente, é sempre bom saber sua opinião.
- Comentários ofensivos ou mal educados não serão publicados.
- Comentários anônimos serão publicados se relevantes.
- Para criticar, sugerir ou elogiar, vá aqui.