A partícula de Deus: Como justificar a criação de Tudo do Nada?

O mundo científico recebeu com aplausos o anúncio feito pelo CERN (Centro Europeu de Pesquisa Nuclear), após 45 anos de testes e avaliações, de que teria identificado um bóson (partícula da física associada a forças) possivelmente o de higgs, apelidada de "a partícula de Deus". Assim chamada em homenagem ao cientista Peter Higgs que, em 1964, anunciou o princípio teórico da existência dessa partícula, como a responsável pela origem da matéria formadora do nosso Universo.

boson-higgs-particula-deus

É bom lembrar que, todo o atual modelo padrão da Física repousa nesse bóson, para justificar os 4% da matéria encontrada no universo, enquanto os restantes 96% permanecem ainda de origem desconhecida - como a matéria escura e a energia que provoca a continua expansão de distâncias entre os astros. Daí a importância da descoberta, pois em caso contrário, toda a teoria científica do surgimento do Universo teria que ser reformulada.

Com a descoberta, ressurge a grande discussão sobre quem criou o nosso Universo, se a fé religiosa de atribuir à Deus – onipresente e onisciente – a sua autoria em sete dias ou, a dos adeptos do Evolucionismo, de que a vida teria surgido da evolução das espécies primárias que, submetidas a sucessão hereditária evoluiram até o atual ser humano.

Quanto ao Universo, existe toda uma verdade cientifica que explica sua origem a partir do Big Bang – explosão de energia ocorrida a 13,7 bilhões de anos – que lançou no espaço detritos e poeiras, ao qual submetidas a rápido resfriamento teriam gerado as estrelas, planetas e, enfim, o universo.

Muitos entendem que a ciência é inimiga da religião, por insistir na busca de explicações – comprováveis fisicamente – para justificar toda a origem do universo, e também da vida. Aliás, famosos cientistas explicaram suas crenças e também suas duvidas, quanto à existência ou não, de uma entidade superior. Louis Pasteur, famoso pesquisador francês, afirmou: "Um pouco de ciência nos afasta de Deus. Muito, nos aproxima". Isaac Newton, autor da lei da gravidade, também disse: "A maravilhosa disposição e harmonia do universo só pode ter tido origem segundo o plano de um ser que tudo sabe e tudo pode. Isto fica sendo a minha última e mais elevada descoberta".

Daí, como justificar, mesmo cientificamente, a criação de tudo do nada? Em outras palavras: como criar as complexas maravilhas como o universo e a vida de coisa nenhuma?

Mesmo com a comprovação da existência do bóson de higgs, resta a pergunta formulada pelos crentes religiosos: E quem criou o Big Bang? Resposta: Deus!

O texto é de autoria de Paulo de Araujo Cunha, arquiteto e leitor do blog.

2 Comentários:

yami karasu disse...

Há pequenos problemas no post, simples mas q são cruciais:

1 - A ciência nunca foi inimiga da religião, mas o vice-versa sim. A história comprova a soberba religiosa de ver q estava errada e negar seu erro (além da manutenção da lástima "deus ultra-objetivo"). Galileu e sua prisão perpétua q o digam.

2 - A ciência nada mais é do q um grande clube, onde todos a sua volta querem descobrir o q existe e como funciona na natureza. O q incomoda os crentes é uma pequena regra científica: "Não use o sobrenatural p/ explicar a ciência".

3 - A pergunta certa não é "quem", mas "o que" criou o universo. Graças ao evento conhecido como "Teoria Quase Estacionário" mostra o movimento entre a matéria e a anti-matéria. Como a matéria venceu, estamos aqui.

4 - É interessante usar frases de cientistas p/ valorizar a questão de divindades, pena q no caso de Newton, ele era deísta (acredita em deus, mas sem basear em revelações, livros sagrados e outros). No caso de Pasteur, é uma mostra q a ciência não age como a religião. Algo muito bom....

5 - O velho "deus nas lacunas" ataca novamente...e respondido no 3.

Jurandir Alves disse...

Jesus comprovou ser quem ele dizia ser pelas obras que realizou a estoria que diga e a ciência tem como comprova a sua loucura olha a perfeição da criação ela diz Deus insiste

Postar um comentário

- Comente, é sempre bom saber sua opinião.
- Comentários ofensivos ou mal educados não serão publicados.
- Comentários anônimos serão publicados se relevantes.
- Para criticar, sugerir ou elogiar, vá aqui.