Como o novo IOF irá mudar sua vida financeira

O IOF, Imposto sobre Operações Financeiras, é um imposto cobrado de todas as operações de crédito que você faz, como por exemplo, os empréstimos e financiamentos, o cheque especial, as operações de câmbio e os títulos e valores mobiliários. Os percentuais de IOF que incidem sobre cada uma dessas operações podem variar.

novo-IOF

Recentemente, o Ministério da Fazenda dobrou a alíquota do IOF, que passou de 1,5% para 3% ao ano. O novo percentual já está valendo desde o dia 9 de abril, e a intenção do MF com isso é que ele ajude a diminuir a grande oferta de crédito que existe hoje na economia. Quem geralmente faz empréstimos e financiamentos de longo prazo (como a compra de um carro, por exemplo) sabe o que isso representará em sua vida: uma nova lapada no seu bolso.

Segundo o MF, todas as operações de empréstimos e financiamentos serão taxadas em 0,38%, na contratação (taxa única), mais 0,0082% ao dia (ou 3% ao ano). Assim, quanto maior for o prazo de seu financiamento, maior será o valor do imposto cobrado.

Para quem utiliza o cartão de crédito no exterior ou faz compras através da internet, a partir do dia 27/Abril, o imposto passará de 2,38% para 6,38%. Com essa nova taxa, o governo anunciou que espera compensar a perda de arrecadação gerada pela correção da tabela do IRPF (Imposto de Renda da Pessoa Física).

E para nós, pessoas comuns sem dinheiro, como podemos fugir da cobrança desse tributo?

- Não há mágica, uma das formas de driblar o IOF é quitar os débitos com o cartão de crédito em dia - Obs: se pagar apenas o valor mínimo e re-financiar o restante significa que irá pagar mais juros e mais imposto. - Evite entrar no cheque especial e nos financiamentos de longo prazo, pois estes foram os mais afetados pelo aumento nesse imposto. - Se for inevitável o financiamento, ao menos economize e planeje para diminuir o número de prestações. E por fim, aquela regrinha básica continua valendo: "se puder, pague tudo à vista".

Fonte: Ministério da Fazenda
Imagem: Charge do Benneti

6 Comentários:

Marcos Pontes disse...

Quando Lula zerou o IOF para a linha branca, lembra?, estava ajudando a empurrar a bomba pro colo da Dilma. Me lembro também que você aplaudia ambos, como se fossem salvadores da pátria. O Lula também incentivou a compra desenfreada e o resultado está aí: inflação em alta. E você aplaudia. Com as compras incentivadas pelo governo, que não vai pagar as contas da população, mais um desdobramento: recorde de inadimplência. Coube ao governo o remédio ortodoxo que o PT condenou toda a vida: aumento de juros. Ainda vejo a possibilidade de você estar certo e eu completamente errado ao falar mal desses dois governantes, mas o curso da história em que vivemos ainda não me convenceu disso.

Daniel Savio disse...

Infelizmente, mas uma coisa para tirar o dinheiro daqueles que não tem...

Fique com Deus, menino Neto.
Um abraço.

Fábio Mayer disse...

Em verdade, o ÍOF é outro imposto que incide em cascata, porque toda empresa usa crédito e toda empresa transfere o custo financeiro para o produto. Todo mundo paga IOF, mas é bem dito que quem usa o crédito, paga mais...

J. Neto disse...

@Marcos
Não existe nenhuma "bomba para Dilma"... O IOF, agora, está sendo usado como instrumento para tentar conter a demanda de doláres que entra no país e para não supervalorizar o real. É um instrumento que pode ser usado pela Fazenda e, se você não lembra, tambem foi utilizado na época por FHC, em outro contexto claro. O Brasil vive hoje um momento diferente daquele de decádas atrás, que requer maior cuidado. Porém, há quem diga que na época de FHC era melhor, como tambem há quem diga que nessa época é ruim, ou é melhor ainda. Isto é uma opinião de cada um. Do modo de vida que cada um leva...

E outra: eu não discuto mais política com você porque o que você faz é "oposição à todo custo", e quando se está cego assim, não adianta. Qualquer debate seria inviável.

Anônimo disse...

O recorde de inadimplência que ocorre no Brasil, comentado pelo sr.Marcos Pontes, não é fruto da política monetária do País e sim do individamento irresponsável de uma parte dos brasileiros, que deram o passo maior do que a perna...verdade seja dita.

Anônimo disse...

Caramba!!!... Eu estou, eu disse, estou querendo saber metodologia do cálculo do IOF, e, por incrível pareça, não consigo! Só vejo assuntos aleatórios, politica + politica = politica.

Postar um comentário

- Comente, é sempre bom saber sua opinião.
- Comentários ofensivos ou mal educados não serão publicados.
- Comentários anônimos serão publicados se relevantes.
- Para criticar, sugerir ou elogiar, vá aqui.