Carta para um estranho

O texto que você vai ler abaixo foi escrito para este blog por Pâmela Rodrigues, uma blogueira apaixonada por internet e antenada com assuntos do coração. Visite o blog dela para conhecê-la melhor. Eu recomendo. :-)
olhar-paixão

Como uma mentira mal contada eu desejei você. Calma, eu posso explicar. Parecia mentira querer você. Logo você que era TUDO de diferente de mim. Você que não chegava nem perto do "modelo" de beleza e comportamento que eu "admirava". Eu gosto dos homens altos, mas você é alto demais. Gosto dos sérios, mas sua arrogância supera qualquer seriedade. Não tenho problemas com signos, mas você é virginiano e isso já é pedir demais.

Você não é gentil como os príncipes dos contos de fada que eu cresci lendo. Nem faz o estilho "olhos brilhantes" ao ver uma mulher. Você é até grosseiro, se comparado aos príncipes. Assim, como desejar logo você? Não combinava com meus padrões.
Meu radar de seleção natural, em qualquer avaliação "meia-boca" eliminaria você na primeira análise. Você não é daqueles que se sonha nas rodas de meninas durante a adolescência. Tenha absoluta certeza disso, você não é.

Mas a vida... você sabe, né??? A vida prega peças. Brinca com os roteiros que a gente traça, mesmo se tudo for feito bem direitinho. A vida tem uma ciranda descompassada. Ela não segue o cronograma que esboçamos. Ela é sapeca feito criança, escolhe os caminhos mais difíceis, porque geralmente soam mais atraentes...

Essa é a palavra - atraente. Quando vi você me olhar pela primeira vez eu pensei - desengonçado, gordo, muito alto e com cabelo despenteado, mas que olhar! A maneira como você me olha deveria ser patenteada. Sim, eu posso dizer que é a maneira como você ME OLHA porque eu já vi olhares seus pra outras mulheres. Uns de desejo, outros de carinho, alguns que eu não gostei, mas nunca nehum como os que você lança pra mim. Ninguém ganha esse olhar. Esse olhar, que me prendeu em você é só meu.

De certa forma é bom porque é tudo o que eu tive de você até hoje. Entretanto, por outro lado é muito ruim, porque seu olhar me fez querer você. Ah, não se alegre! Não é carnal. Eu não quis um beijo, ou um abraço. Eu quis conhecer você. Conversar com você. Poder olhar você, sem que fosse sempre de modo disfarçado. Quis muito poder olhar você. Até que não seria ruim receber uma ligação sua, de forma despretenciosa.


Justamente você. Não era pra ser você. Era pra ser o David Beckham; o Colin Firth, sei lá quem mais, menos você. Você foi a maior peça que a vida me pregou. Tive que vencer meu orgulho e baixar minha guarda pra poder me aproximar de você. A menina mimada teve que deixar sua redoma cor-de-rosa, porque o príncipe não iria me resgatar na torre. Eu tive de descer sozinha as escadas, me pôr diante de você e dizer que não tivesse medo porque nosso querer era o mesmo. Lindo conto de fadas!

Sem castelo, sem cavalo branco (sempre odiei a parte do cavalo branco e da carruagem, mas....), sem canções (amava as canções), com muitas bruxas (as bruxas vieram, né?!?!?) e sem fada madrinha (essa eu preciso até hoje). Não faz qualquer sentido que meu coração só lembre de você. É quase um castigo. Pra onde foi o encanto, a magia, o mistério, a surpresa do amor...? Se todos os homens fossem como você não haveria nem branca de neve. Então que há nesse seu olhar? Que mundo inteiro eu encontro nele a ponto de me perder em você?

Por que você lança esse olhar só pra mim? Se por um minuto você conseguir livrar-se dos seus fantasmas, pegue minhas perguntas, minhas infinitas interrogações e faça, de uma vez por todas, nosso mundo girar, movido pelas falas retidas em nossos olhares, por todos esses anos.

Pâmela Rodrigues

7 Comentários:

Fernanda disse...

É mesmo uma bela carta. Acho que o "anônimo" deve lê-la com carinho - e respeito.

Olha, legal Neto! Achei bacana você ter aberto espaço no seu blog para as pessoas escreverem o que sentem, o que pensam...

Isto só mostra seu caráter receptivo rs Abraços querido. PS: anda muito emocional moço... Tá apaixonado é?

C. disse...

Bonito texto!

Elisa disse...

Vi esse post lá no Google Buzz e vim dá uma olhada rs... Muito bom. Gostei!

Houve uma época em minha vida que eu me apaixonei assim. Fiquei encantada com os olhos azuis e o jeito de olhar de um cara (e era um olhar misterioso, pois eu sentia um frissom toda vez que lembrava dele) que nunca mais consegui esquecer dele.

Vez ou outra, notei que ele só olhava pra mim daquela maneira, para as outras mulheres não, não era assim. Me perguntei: O que esse cara vê em mim? Será que tá de gozação? É tesão? O que será?...

Nas minhas indagações e curiosidade, me aproximei e acabei me apegando pelo cara. O papo dele era bom, o perfume ótimo, a performance e o nível tambem, mas acabou tornando-se uma frustração porque mentiu. Mentia muito. Fui saber depois que estava envolvida que ele era casado. Imagine aí como fiquei... logo eu que já estava apaixonada. Enfim, lembranças de uns momentos de aprendizado quando eu ainda era uma adolescente sonhadora kkkkk

Mas parabéns à jovem pelo post. Abraços, Neto!

Eli silva disse...

A gente sempre balança por alguem que pensa que é o único em nossa vida. Até que um dia, o vento vem e o conto de fadas se acaba.

Em matéia de paixão, já tive a minha cota.

Thank's e beijus amore! :D

marcia disse...

Texto inteligente. Gostaria de ter sido intuitiva assim com meu namorado, acho que não teria me decepcionado.

Bjos!

Daniel Savio disse...

Interessante o texto, sendo que olhares são enigmaticos, mas que tem coragem de desvenda-los, pode saber muito daqueles que se escondem atrás deles...

Fique com Deus, menino Neto.
Um abraço.

C. disse...

Forte e intenso a tua definição do amor, e nao tem texto melhor pra dimensão desse amor que disse, do que aquela música do Legião, que é o versículo Cor 13.

Obrigada mais uma vez pela dedicatória caríssimo, você me surpreende :-)

Como disseram aqui... será que tu anda apaixonado? rs

Postar um comentário

- Comente, é sempre bom saber sua opinião.
- Comentários ofensivos ou mal educados não serão publicados.
- Comentários anônimos serão publicados se relevantes.
- Para criticar, sugerir ou elogiar, vá aqui.