Livro de educação sexual é proibido nas escolas do Recife

Me diga uma coisa: o que você pensa de, a pretexto de ensinar "educação sexual" para os alunos na escola, a Secretaria de Educação entregar a seus filhos (crianças na faixa de 8 a 10 anos) um livro que contém as seguintes frases: "O pênis do papai fica duro. E o papai acha isso muito gostoso"; "Alguns meninos gostam de brincar com o seu pênis, e algumas meninas, com a sua vulva, porque é gostoso"; e "As pessoas grandes dizem que isso vicia" e "Tira a mão daí que isso é feio", ou ainda, "Os homens gostam quando o seu pênis fica duro" e etc?

mamae-como-nasci   mamae-como-nasci

Essas conversas estão na cartilha "Mamãe como eu Nasci?" que ia ser distribuída aos alunos nas escolas públicas do Recife pela Secretaria de Educação, e acabou sendo vetada pela assembléia legislativa. Os vereadores acharam seu conteúdo desqualificado para as crianças dessa faixa etária.

Para mim, longe de dizer que este tipo de educação não deve ser aprendida nas escolas, mas não é de hoje que vivem querendo repassar aos professores a tarefa de educar as crianças com temas que é da responsabilidade dos pais. Eu tenho duas crianças pequenas e acredito que nada substitui uma boa conversa entre pais e filhos. Só falo com elas sobre esse assunto quando me perguntam, ou quando despertam a curiosidade sobre o tema. Não vejo nada demais em dizer-lhes a verdade.

A educação sexual começa em casa, isso é um fato. Infelizmente, o que se vê por aí é que alguns pais delegam essa função à TV. E não me digam que são só os pais "puritanos", "beatos", ou "pobres" que fazem isso não, porque há muitos pais liberais e ricos (até demais) que preferem ficar fora de casa traindo a família do que em casa educando seus filhos.

A escola não pode, nunca, ir além do poder familiar. E deve avançar somente em casos que, reconhecidamente, os pais não possam cumprir suas funções. É o que eu penso.

9 Comentários:

Elisa disse...

Um livro que incita à prática sexual de menores é um incentivo à gravidez precoce. Já há muitas meninas de 12, 13 e 14 anos vivendo assim.

Se não há competencia para educar e administrar, concordo com a proibição.

Roberto Hyra disse...

Acredito que haja uma necessidade de uma orientação por parte da escola e dos pais sobre esta faceta da vida humana que é o sexo. Mas precisamos refletir sobre como seria adequado fazê-lo.

A função da escola ainda é fazer o ser humano passar por um processo civilizatório e tornar-se apto a viver em sociedade. A linguagem infantilizada e sexual pelo adulto serve apenas para não discutir seriamente a questão do prazer e acima de tudo do afeto verdadeiro.

É preciso ter cuidado ao abordar um tema como esse nas escolas.

Valdeir Almeida disse...

Neto,

Certamente, se essa cartilha fosse distribuída aos alunos, seria uma catástrofe na escola: os professores, se retransmitisse aquele conteúdo, não saberiam como digerir a informação para seus alunos. Depois, os pais iriam culpar a direção da escola e os docentes.

Você diz acertamente ao defender que a Educação Sexual deve partir de casa. A escola pode tratar do tema, mas não como um dever, como tem ocorrido por aí.

Abração, Neto, e um ótimo domingo.

Daniel Savio disse...

Cara, é uma coisa meio estranha (a forma que abordaram), já vi cartilhas (é claro que uma platéia dos adolescentes) de uma forma mais sexual, mas bem instrutiva (sobre o risco da Aids e por conta do sexo)...

Mas penso sim que a escola tenha de dar educação sexual, mas para faixa do adolescentes...

Fique com Deus, menino Neto.
Um abraço.

@philipsouza disse...

Concordo, o livro tem que instruir o adolescente nao excitar a pratica, ainda mais que sera lido por varios menores.....

abraçao Neto

RoCosta disse...

Concordo com você. Educação sexual de menores de 14 anos deve dada pela família.
Minha filha aos 6 anos ficou sabendo que a minha vizinha iria ter um bebê quis saber como ela fez para ficar grávida. Eu disse fazendo sexo, ela retrucou ah! então faz sexo também quero um irmãozinho. Ela não queria saber sobre sexo, mas de uma maneira de ganhar um irmão.
Quando ela estava na sétima séria a escola ensinou sobre sexo, mas eu já havia levado ao ginecologista e explicado do jeito que queria que ela aprendesse.
Beijão!

ZEPOVO disse...

Adolescentes mal informadas grávidas, aos montes!
Crianças cuidando de crianças.

Adolescentes bem informadas praticando sexo dos 13 anos em diante bem a vontade e com vários parceiros, mas só sexo seguro viu!

Pais modernos que "permitem" que o namoradinho de 15 aninhos da filhinha de 13 aninhos durmam juntos; Mas só aqui em casa e depois de uma boa conversa!
Boa conversa de quem?

Moças de 18 anos achando normal e comentando com amigas, pais e vizinhos a qualidade dos vários moteis que elas já conheçem!

Quanto mais educação sexual, psicologia e informação as escolas e os pais fornecem pior fica!
Então estamos fazendo algo errado, ou não?

Paulo R. Diesel disse...

A educação vem de casa, o problema é que não estamos preparados para tal tarefa e isto se torna uma corrente que não se sabe onde vai arrebentar.

Camila Diesel disse...

A escola tem um papel fundamental na formação de um cidadão, mas no despreparo, os pais acabam delegando as resposabilidades somente sobre ela. A escola faz parte de um conjunto que vai lapidando a personalidade e os conhecimentos de uma criança, juntamente com os pais, televisão, internet e até o convívio com outras crianças.

Postar um comentário

- Comente, é sempre bom saber sua opinião.
- Comentários ofensivos ou mal educados não serão publicados.
- Comentários anônimos serão publicados se relevantes.
- Para criticar, sugerir ou elogiar, vá aqui.