Polícia: quem precisa de polícia?

Todas as vezes que há uma denúncia contra a policia daqui de Pernambuco, as autoridades e o oficialato desta instituição dão as mesmas respostas: "nós iremos apurar os fatos e os envolvidos serão punidos". Esse tipo de postura já causa até revolta e indignação, porque todos sabem que nada acontece depois.

Polícia em ação

Eu não acredito que ainda há quem duvide da truculência com que a polícia age nas comunidades carentes. O caso da favela do pilar é apenas mais um, e não passará disso. Se as crianças dessas comunidades relatam em seus desenhos e escritos tal brutalidade é porque de fato ela existe - ou há algo parecido.

O grande problema dessas "incursões" feita pela polícia (já chegam batendo nos moradores) é que, para ela, "todos" são bandidos. Não se vê incursões desse tipo em áreas nobres como Boa Viagem, Casa Amarela, Torre, etc. A polícia do estado (daqui) tem dois modos de atuação: um para o rico, com um 'bom dia doutor!", e um para as comunidades pobres, com tapas e gritos.

Invasões, boatos, agressões, e toques de recolher é coisa típica de bandidos e de governos ditadores, e algo realmente precisa ser feito para reformar essa polícia. Se nada for feito, eles continuarão assim, se achando "poderosos", e na certeza de que sempre haverá a impunidade.

6 Comentários:

Valdeir Almeida disse...

Olá Neto,

Alguns dias atrás, a polícia estava investigando ladrões que assaltavam na região onde moro. Da minha casa, presenciei um branco passando sem ser abordado; mas um rapaz negro foi revistado, não encontrando nenhum indício de crime.

A Polícia é truculenta. É uma instituição que me faz passar ao largo.

Abraços e boa noite.

Abraão disse...

É verdade, quando estive aí em Recife, vi muito dessa truculência policial, mas não pense que é só aí que existe não!

O mais incrível é que quanto mais eles batem mas a criminalidade aumenta...

Valéria de Oliveira disse...

Salve, salve grande Neto!! Abordando sempre as notícias do nosso cotidiano... É exatamente isto mesmo... Existe uma imensa diferenças em tratar os pobres e os ricos... Já vi isto e sei que é pura verdade...

Eu sumi por alguns probleminhas, mas estou voltando no sapatinho, devagarinho para acompanhar as melhores escritas (que são estas)...

Beijo grande...

Daniel disse...

Não é só aí não meu amigo, é em todo lugar. Um amigo meu tempo desses sofreu agressões de policiais sem razão nenhuma, deu parte na corregedoria e até hoje nada! Pense num corporativismo. Um abraço.

http://submundosemmim.blogspot.com

Raquel disse...

em todos lugares essa instituição funciona de forma semelhante, bom creio que seja necessário, mas muitas vezes imprecisa... enfim, são aquelas grandes questões da sociedade nacional, gostariamos de solucionar a política, a miséria, a educação e as instituições de segurança... MAS UFFF NASITUAÃO QUE VAI A COISA DA PARA SE PERGUNTAR SE ELAS TÊM MESMO SOLUÇÕES, OU O MELHOR SERIA ACABAR COM TUDO E COMEÇAR DO ZERO DE NOVO?

Fábio Mayer disse...

É um problema seríssimo de cultura policial, quie assola o Brasil todo. É nítida a separação de tratamento pelas polícias: pobre apanha, "bacanas" são tratados com fidalguia...

...mas pior que isso é a falta de polícia, como a que assola o Paraná de Roberto Requião. O outrora tranquilo estado hoje é assolado por chacinas e instalação do crime organizado, e o seu governador age como se governasse a Suiça.

Postar um comentário

- Comente, é sempre bom saber sua opinião.
- Comentários ofensivos ou mal educados não serão publicados.
- Comentários anônimos serão publicados se relevantes.
- Para criticar, sugerir ou elogiar, vá aqui.