Caso Arturo Gatti: um milhão de dólares para a viúva

O ex-campeão de boxe, Arturo Gatti, foi encontrado morto em um resort (Porto de Galinhas- PE) quando estava de férias. Sua esposa, Amanda Rodrigues, foi acusada pela polícia de tê-lo assassinado e foi detida. Passou 18 dias na prisão. Dias depois, um laudo pericial declarou que o boxeador não foi morto, havia se suicidado, e Amanda então ganhou a liberdade. Recentemente, o Journal de Montreal, em uma reportagem publicada no seu site, pôs mais lenha nessa fogueira.

Arturo Gatti e sua esposa Amanda Rodrigues
Revelou que o boxeador Arturo Gatti deixou, em seu testamento, uma apólice de seguro no valor de U$ 1 milhão em favor de Amanda, e que esse documento havia sido modificado três semanas antes de sua morte. A mãe do lutador a acusa de tê-lo assassinado e diz que ela o forçou a modificar os papéis "ela planejou tudo antes!". A família, que não acredita na hipótese de suicídio dele, pediu a exumação do corpo para um novo laudo pericial. E o caso rende.

É o seguinte: todos nós conhecemos 'casos de casais' em que, um deles, premeditava a morte do outro, ou a provocava, apenas para ficar com os bens e todo o dinheiro. Não podemos afirmar que a víuva seja culpada porque se beneficiou disso mas, é de se perceber que este seja um caso complicado pois está envolto em muitos mistérios. Ao que tudo indica, muita água ainda vai rolar e este, parece mesmo, um verdadeiro CSI.

3 Comentários:

Daniel Moraes disse...

Pode ter a certeza que esse caso ainda ira render... E ve as cenas do proximo capitulo. Postei um texto no O Arroto. Um abraco.

http://contesta-acao.blogspot.com

http://o-arrotoooo.blogspot.com

A Itinerante - Neiva disse...

Neto,

Pôxa!!! 1 milhão de dólares!!!

Acho que vou arrumar um maridinho e mandar ele fazer um seguro também!

Beijos!!!

Anônimo disse...

espertissima alem essa mulher de boba nao tem nada hahahha

Postar um comentário

- Comente, é sempre bom saber sua opinião.
- Comentários ofensivos ou mal educados não serão publicados.
- Comentários anônimos serão publicados se relevantes.
- Para criticar, sugerir ou elogiar, vá aqui.