Adeus, monstro!

Josef Fritzl: o monstro da Áustria que aprisionou, estuprou, engravidou e manteve por 24 anos em prisão domiciliar sua própria filha, foi condenado hoje a prisão perpétua.

Josef Fritzl: Adeus, indivíduo nojento!

Quem dera, no Brasil, as leis fossem assim tão duras para os criminosos...

7 Comentários:

Roberto Hyra disse...

Realmente Neto!

Esse cara só pegou essa pena porque foi lá fora, se fosse aqui, antes disso, ele ganharia um Habeas Corpus do Gilmar Mendes

[]'s

A Itinerante - Neiva disse...

Neto,

Não é justiça que se fez, porque não repara a injustiça. Nada apagará o mal que foi feito. Nem pagará. Isto é apenas uma punição, que sequer tenta obter alguma reparação.

Mas é assim que nossa sociedade é constituida: de desejo de punição mais do que de reparação.

Antes isto do que nada. :(

Quanto ao Brasil, não creio que a generalização utilizando como base um caso tão diferenciado caiba. Porque creio que aqui no Brasil também, ãlgo com tamanha repercursão e com uma pessoa velha e falida como ele, o resultado seria o mesmo.

Agora se ele fosse político... Ou jornalista influente... :(

Beijo. :D

Philip Rangel disse...

Hhehehehe......

depois disso..nao conhecia essa historia nao Neto....affe......se o Brasil tivesse esse sacrificio.....o mundo seria melhor...so que levando pelo direito..é uma forma de culpa errada....destacando os conceitos de beccaria...

abraços

parabolas disse...

Neto

Todos sabemos que sua indignação é com as injustiças que temos e, vemos continuamente acontecer, aqui no Brasil. Concordo com sua posição e assino embaixo de sua luta por uma justiça melhor e, na verdade, mais justa. No entanto, nesse caso, vou discordar de você, e concordar com o que disse Neiva. E principalmente, quando ela diz que um caso como esse, e pela repercussão, vivenciado por aqui teria quase que a mesma conotação. Teria sim! E suas decisões seria tão forte quanto.

Nós não temos prisões perpetuas. Estamos longe de cadeiras eletricas como exemplo de castigo e longe de muito rigor em punições, mas teria sido dada uma punição justa sim, e exemplar a esse sujeito.

Quem estuda direito conhece bem como são a versatilidade e a flexibilidade de nossas leis. O rigor não é grande. E isto, justamente por sermos um país democrático, de culturas sociais diversificadas e mistura de raças. Entretanto (e vou concordar com você aqui) se por um lado esse direito nos favoreceu, ele tambem nos causa transtornos quando como vemos os mais fracos finceiramentes serem pisados e humilhados por aqueles que detem poder e dinheiro, e quando as autoridades nada fazem. Apenas pela tal diferença de classe social.

Muita coisa precisa mudar, é verdade, Neto! Mas há de se convir que tudo começa com um primeiro e, pequeno passo.

Abraços amigo, vou ficar por aqui porque já me estendi demais :D

Lis disse...

Dura e rápida!! Porque o julgamento não foi demorado! Todo o processo levou pouco tempo comparado com a morosidade da Justiça Brasileira!!
Mas uma coisa que me deixou abestalhada neste processo que após 15 horas assitindo o video com o depoimento da filha o sem-vergonha,safado,monstro se mostrou arrependido e pediu desculpas!!!! hahahahaha Agora ele tá arrependido né? É muita cara-de-pau!!
Bjus

Fábio Mayer disse...

Foi pouco.

Pena de morte seria mais adequada.

E, sinceramente, deveria ser pena de morte com requintes de crueldade... antigamente, nos Oriente Médio, ela era executada com suas machadadas no pescoço, a primeira para doer, a segundo para matar.

Seria o mínimo a se fazer com essa... coisa... aí...

Cris_do_Brasil disse...

Oi Neto, td bem?
foi muito pertinente o julgamento, ´parece` a justica foi feita. Parece.

Postar um comentário

- Comente, é sempre bom saber sua opinião.
- Comentários ofensivos ou mal educados não serão publicados.
- Comentários anônimos serão publicados se relevantes.
- Para criticar, sugerir ou elogiar, vá aqui.