O preconceito extremo é a pior doença

O ataque covardemente sofrido pela advogada pernambucana Paola Oliveira, em uma estação de trem em Zurique na Suiça, no qual ela perdeu seu bebê, só reforça uma questão antiga, mas ainda muito presente na vida de todos nós: O preconceito.
A jovem foi agredida barbaramente por SkinHeads, um grupo neonazista que defende a politica anti-imigrante naquele país. E os facínoras ainda escreveram no corpo dela, a golpes de estilete, as iniciais de seu partido racista.

Paola Oliveira foi espancada na Suiça
Infelizmente, esses ataques horríveis não é exclusividade apenas dos países estrangeiros. Quem imaginar que esta realidade passa longe do nosso Brasil está enganado (a). Quem não se lembra daqueles garotos de classe média alta que tocaram fogo em um índio pataxó em praça pública de São Paulo?... E também de fatos envolvendo nordestinos, que são atacados e ridicularizados sem razão, por pessoas destas grandes cidades, apenas por não conseguirem conviver com as minorias?...
Eu até lembro do caso de um jogador de futebol daqui de Recife que, quando foi jogar em time lá do Rio, era chamado frequentemente de: "comedor de farinha!".

E sem falar que, as maiores vítimas desses jovens baladeiros da burguesia carioca e paulista, são as empregadas domésticas, os homossexuais, os travestis e as prostitutas que, quando pegos nas ruas ou nos sinais de trânsito, são humilhados e espancados cruelmente - muitas delas chegam até a morrer nos hospitais. É uma parcela da população que não figuram nas estatísticas oficiais.

A pergunta é: Quando isso vai acabar? Quando for instítuida a redução da maioridade penal no país?
Ou quando o Poder Judiciário, finalmente, perceber que a legislação da nossa constituição de 1988 já não condiz com os tempos atuais?
Ou talvez, quando o Poder Legislativo, parar de ficar brincando de troca de cargos e picuinhas, para realmente pensar o Brasil?

Sim! É lamentável que episódios como o da jovem advogada aconteçam dessa forma mas, enquanto nenhuma atitude for tomada para racionalizar os jovens de hoje (no Brasil igualmente), muitos estarão se envolvendo em grupos radicais, racistas e fascistas e, acreditando que através deles e, espancando pessoas, estarão mudando o mundo.

16 Comentários:

Mike disse...

O preconceito e a discriminação é tão antigo quanto o surgimento do primeiro primata na terra (se é que fomos criados por óvulos mesmo, pois hoje já se questiona até a teoria de Darwin). É um tema de estudos tão históricos do comportamento humano que nunca se chegou a conclusão nenhuma. Infelizmente o que se vem perdendo ao longo do tempo é a tolerância com especimes assim.

Horroroso isso que fizeram com a moça.

Cejunior disse...

É verdade, ainda temos muito preconceito por aqui, o que é injustificável num povo de origens tão diferentes.
Vamos ver se a polícia de lá consegue apurar o que aconteceu.
Um abração.

Parabólas disse...

Segundo a policia, a moça não estava gravida. Mas o mais horrendo é que eles estampam isso como uma manchete em todos os jornais sem darem nenhuma importancia à gravidade do caso.

Quisera que fosse um suiço atacado assim aqui no Brasil pra você ver!...

JNeto disse...

Fala JNeto, blz? Sou eu teu xará virtual, JNeto.
Tempão que a gente não se fala... verdade? Desculpa a ausência esse tempo, tava com uns problemas pessoais que se somaram com a falta de acesso a internet. Acabei sumindo. Mas voltei... E vc? Como anda as coisas? Em breve vou dar uma lida nos teus posts e me atualizo um pouco. Obrigado pelos votos de felicidades no final do ano... talvez seja tarde pra te desejar o mesmo, mas mesmo assim: Muita saúde, paz e sucesso em 2009. Abraços e fica com Deus.

Sobre esse post: Lastimável a ignorância humana. Realmente lastimável.

P.S.: Dps vamos marcar pra tornar essa amizade real né? Só virtual é foda.

P.S.2: Em breve vou atualizar meus blogs. É só questão de tempo mesmo.

Fui!!!

Abraão disse...

Neto
A policia e os peritos declararam que a advogada não foi espancada e não estava gravida.

Leia: Hoje, numa entrevista coletiva convocada pela Polícia, um legista suíço disse que a brasileira se mutilou e que não estava grávida quando sofreu a suposta agressão

Fonte: Abril.

Vidal disse...

Lamentável mano. Muito lamentável. Mas parece que esses grupos ou estão com mais visibilidade na mídia ou estão voltando a moda. deixar de existir realmente nunca deixam.

Abraço.

Ps: Obrigado pela indicação. Estou muito contente. Vamos ver no que vai dar né.
Abraço.

Patty disse...

Neto, já leu sobre a reviravolta desse caso? http://noticias.uol.com.br/ultnot/internacional/2009/02/13/ult1859u675.jhtm

Não sei mais o que pensar.

Beijo e bom final de semana!!!

Fábio Mayer disse...

Uma vez recebi uma visita no meu blog, de um deses rapazes pegos fazendo arruaça em boate de madrugada.

Ele me chingou e ameaçou, porque eu escrevi em algum lugar que a culpa também é dos pais, que não ensinam valor algum e financiam as baladas.

Ele disser ser inocente, mas não explicou porque entrou em confronto com policiais, nem qual era o seu grau alcoólico quando a confusão, que acabou numa morte, começou.

Esses "jovens" que agridem nordestinos, domésticos, pobres e mendigos, são fruto de pais ruins, irresponsáveis que querem se ver livres de seus pimpolhos chatos e mimados. Dão dinheiro, carro e dizem na entrelinhas: Sumam de casa, vão incomodar os outros! E eles vão...

E quando os pimpolhos são pegos, os pais vão chorando às delegacias e jornais dizendo que o garoto é bonzinho e que não sabe como ele se envolveu no negócio, mesmo constatando que o garoto está alcoolizado de não conseguir se manter em pé, e se faz acompanhar de uma gangue de marginais.

Racismo e preconceito são coisas nojentas que nascem da irresponsabilidade...

Parabolas disse...

A advogada espancada estava MENTINDO.
Como é de praxe todos os advogados e advogadas fazerem.

E ainda mais sendo filha de um político...

danyl disse...

Não se pode julgar precipitadamente ou afirmar que foi autoflagelação da moça, ou que ela tenha disturbios mentais. Já houve por aí muitos casos que a perícia tambem errou, ou não?

rogerio disse...

Neto

Há uma controversia muito grande em torno do espancamento sofrido por essa jovem advogada, uns dizem que ela se mutilou e é golpista, outros dizem que ela foi realmente atacada.
Mas, em suma, o que citou sobre o preconceito, baseado nesse tema, é correto. E todos nós somos culpados por esses jovens problematicos ou com disturbios mentais. Não é só um problema do Estado, do Governo, é também das famílias e da sociedade como um todo.

A moda jovem de hoje é, tirar a roupa nos BBBs e aparecer na TV mostrando seus dotes, é sair em escola de samba nua ou só com uma tirinha de pano no corpo, é aplaudir mais e mais a arte da mentira e da sedução como um dom que se deve prestigiar. A cultura do corpo e do consumo é alimentada todo dia pela mídia e 'as pessoas' dão valor à isso. Tudo leva a uma sociedade pobre do ponto de vista moral.
E quem instiga ou louva esses comportamentos em seus filhos (e nos outros) também compartilha dessa.irresponsabilidade e é culpada.

Eu já morei na Europa e, sei que existe de fato um preconceito ainda velado contra estrangeiros naquele país. A propria imprensa e a sociedade de lá escondem isso com rigor. Negam. Eu já fui uma das vítimas.

Então, não vou dizer que a garota esteja mentindo ou não, é um caso que precisa ser apurado.

É preciso saber a verdade, o que houve com ela antes de afirmar que a garota tinha problemas mentais. E se tinha problemas mentais como poderia seguir uma carreira de Direito?

Quanto a legislação defasada do nosso Brasil, eu concordo contigo e assino embaixo.

A Itinerante - Neiva disse...

Neto,

Independente de ser ou não verdade a estória da moça a questão do preconceito permanece, mas não acho que estejamos piores hoje do que ontem.

Temos esta impressão porque a internet transformou o mundo em uma pequena aldeia e casos isolados (como este) em um instante percorrem todo o mundo, dando a impressão de um movimento mais forte do que realmente é.

Todo o pensamento nazista de mais de 60 anos atrás, por exemplo, foi construido com base na Eugenia, teoria desenvolvida em 1 833, sobre o "bem nascido".

Na Grécia antiga já grassava. Creio que o preconceito é tão antigo quanto o ser humano pois onde quer que procuremos historicamente o encontraremos.

Meu pensamento é otimista. Sei que existe ainda e com alguns focos graves, mas movimentos e organizações contrárias são muito mais intensas e livres hoje do que ontem e aos poucos estes focos desaparecerão.

Beijos

Lugirão disse...

Não acredito que o preconceito acabe, infelizmente sempre existiu e vai existir, cada um que se livre de estar entre os escolhidos desses marginais. Que é como deveriam ser tratados.

Paulo R. Diesel disse...

A verdade está com quem?
Precisamos aguardar.
Mas o preconceito é algo que atravanca a sociedade
e atos deste tipo devem ser punidos.

paula barros disse...

Se for como está divulgado é um absurdo. Independente disso preconceio é um absurdo. Tenho os meus, mas não chegaria a fazer nada de mal com ninguém.

Você me ensinaria a ganhar dinheiro com o blog?

Obrigada pela visita. abraços

Marcos disse...

O radicalismo, seja de que tipo for, é um perigo e deve ser combatido, mas, parece esse caso tem mais desdobramentos do que mostra a primeira versão. Também toquei no assunto e sinto que me antecipei aos fatos. veremos como ficarão as investigações que, espero, sejam sérias e isentas.

Postar um comentário

- Comente, é sempre bom saber sua opinião.
- Comentários ofensivos ou mal educados não serão publicados.
- Comentários anônimos serão publicados se relevantes.
- Para criticar, sugerir ou elogiar, vá aqui.