Lula, o Irã, e o acordo nuclear que os EUA não quer acreditar

Os EUA tem como hábito demonizar seus oponentes na midia internacional. É um país agressivo em seus relacionamentos com os outros países, mas morre de medo de uma conspiração contra eles (qualquer uma). Foi assim que fizeram com a União Soviética, com a China e por último, com o Iraque.

Lula-Irã

Em verdade, eu acho que o Irã tem pleno direito de enriquecer urânio para gerar energia com fins pacificos, e até para se proteger se assim quiser, pois Israel, seu maior inimigo, possui armas de destruição em massa ainda piores (sob as bençãos dos EUA), e até hoje, não se fala em sanções contra Israel, que vive a massacrar a Palestina.

Não sei como um país como os EUA que detem um arsenal nuclear que dá para acabar com o mundo num piscar de olhos, quer ter a moral de "disciplinar o mundo". Um país que soltou duas bombas atômicas no Japão matando milhares e milhares de pessoas, e agora quer ter a moral de recriminar que o Irã use o seu urânio - em nome de uma suposta ameaça e paz mundial. Me desculpem meus caros leitores, mas eu acho que o perigo para o mundo hoje não é o Irã, é os EUA.

Não sejamos ingênuos. Todos os países da Comunidade Internacional de fato querem a PAZ, menos os EUA. São eles que mais lucram com as guerras. Se o mundo dependesse só dos EUA, não duvido que estariam hoje jogando bombas em crianças, mulheres e idosos dos paises pobres, afim de os submeterem às suas regras como fizeram no Iraque. Alguem aí pode me dizer onde estavam as bombas de destruição em massa que os americanos "afirmaram" que o Iraque tinha?

É cômico, mas sabe o que eu acho disso tudo? Que hoje os americanos devem estar pensando assim:
"Quem mandou aquele barbudo e ignorante (Lula) ir falar com o Irã? E agora, como vamos fazer? Não vai mais ter guerra nenhuma. E a nossa indústria bélica, como fica?... Já faz tempo que não fazemos uma "guerrinha" pra gastar o nosso arsenal. Nossos fabricantes (de armas) vão reclamar. Esse LULA não toma jeito mesmo. Só quer atrapalhar".

Pois é... #PegaEssaObama!

12 Comentários:

Daniel Savio disse...

Mas Neto, será que os Estados Unidos seria o que são sem um grande inimigo ficticio?

Fique com Deus, menino.
Um abraço.

Valdeir Almeida disse...

Olha,

Eu tenho minhas ressalvas em relação ao Presidente Lula. Mas uma coisa é certa: só o fato de ele conseguir um diálogo com o Irã para tratar desse assunto é um feito que muitos países queriam lograr.

Os EUA não estão se mordendo de ciúmes apenas porque o Lula é um estadista da América Latina, mas, sobretudo, porque eles (os EUA) não sabem dialogar, apenas enviar soldados e armamentos para seus países desafetos, em vez de tentar utilizar o diálogo.

E Lula sabe usar muito bem as palavras. É um dom dele que ninguém vai tirar.

(Infelizmente a Dilma é totalmente o oposto dele, infelzmente mesmo).

Amigo Neto, abração e uma excelente quinta-feira.

Fábio Mayer disse...

Neto,

Com todo o respeito. Considero suas opiniões e eu mesmo sou da opinião que qualquer país tem o direito de desenvolver armas nucleares, desde qu aceiteo ônus disso, coisa que o Irã não faz.

Mas não se pode cultuar uma idéia errada de disputa entre Lula e Obama, isso é simplista demais, como é por demais simplista atribuir aos EUA todos os problemas da Amérca Latina, do Brasil e do mundo.

Se o Irã quer construir armas nucleares ele que declare isso em alto e bom som e não fique se escondendo no jogo diplomatico, que agora, além dos atores tradicioais, tem o Brasil em cena. Me diga: defendendo que o Irã não tenha armas nucleares o Brasil não seria alvo de terroristas num eventual conflito a partir dele?

É muito perigoso fazer proselitismo personalista do presidente brasileiro em um conexto em que o Brasil NÃO TEM condições de combater em guerras assimétrcas, seja por falta de equipamentos militares, seja por falta de condições econômicas.

Janaina disse...

Neto,tudo bem?
Os EUa devem estar se roendo de inveja do poder de comunicação de Lula,mas vejo isso tudo com reservas...só de falar em química me dá arrepios,cruzes!Beijos.

Neto disse...

@Fábio

A política externa brasileira é infantil é certa que é, mas é o que a gente dispõe. Motivos: nós somos um povo pacífico e estamos longe de saber atuar numa guerra, pois não dispomos de armamentos suficientes e nem de 4 mil e tantas ogivas nucleares como os EUA, portanto resta-nos falar sobre paz nesses organismos internacionais (é com o Lula e seria assim com qualquer outro presidente aqui).

Com minha opinião, não estou fazendo uma comparação de Brasil/EUA, pois o abismo ainda é enorme. Apenas estou insistindo na lógica de que deve haver uma reformulação no modus operandi desses países em relação ao Oriente Médio. O Brasil se expôs, se expôs, mas quem almeja o que o Brasil está almejando deve mesmo tentar. Vale a coragem.

O problema não é uma 'visão simplista', é a visão de que a ONU e os EUA ainda não acordaram (ou não querem acordar) para um novo século em que vivemos, e em que uma nova página na história pode ser montada. Outros protagonistas, mão só o Brasil, podem atuar na lista dos 5 mais do mundo e interferir sim, porque não?

Minha opinião, apesar da forma cômica como citei acima, é por uma nova reforma nesses órgãos, não de combate.

Fábio Mayer disse...

Neto,

Reformar a ONU não vai mudar em nada a situação do Irã e de nenhum outro conflito humano.

Porque EUA, Rússia, China, França e Inglaterra continuam tendo arsenais nucleares e ascendência econômica sobre o resto do mundo.

A única coisa que o Brasil pode fazer para mudar esse quadro é CRESCER e tornar-se importante no mundo, coisa que está acontecendo no governo Lula, por mais que alguns opositores neguem isso, embora com falhas no processo. Temos que nos tornar MAMUTES econômicos e militares, como a Índia e a China se tornaram neste início de século XXI, diminuindo a influência global dos EUA e da Rússia.

Não será dando uma de bonzinho e pacífico que o Brasil mudará o mundo, porque ditadores e anti-democratas continuam existindo e porque os interesses mesquinhos de nações são a regra, não a exceção que se quer imputar aos EUA. Os EUA fazem exatamente o que qualquer país faria se estivesse na posição dele, podendo impor pela força algumas opiniões.

Se o Brasil quer ser influente no mundo tem que trabalhar nas arenas econômica (crescer), tecnologica(ter produtos próprios de necessidade de terceiros), política(impor seus interesses), econômica (ser um parceiro comercial imprescindível) e militar (ter capacidade de impor seus interesses por meio do medo).

NUNCA na história da humanidade houve uma nação hegemônica que não tenha se imposto no mínimo pelo receio de confrontar com suas armas,não será Brasil de Lula diferente...

Ficar pedindo paz e diálogo é algo que toda chancelaria faz, maspor debaixo das máscaras, todos os países influentes incluem nas equações o componente militar e a guerra. A diferença é que o Brasol está sendo ingênuo de achar que o Irã vai aceitar o que ele pede e se comportar com cavalheiro... não existe cavalheirismo em diplomacia, nunca existiu!

Mas é bem dito, são opiniões minhas, respeito o que você pensa, que não é destituído de lógica.

Roberto Hyra disse...

Colunistas estrangeiros e até brasileiros disseram que Lula teria que 'pedir licença' aos EUA para ir falar com o Irã. Um absurdo.

Não gosto do PT, nunca gostei, mas concordo com o presidente. Infelizmente, ainda há muitos brasileiros por aqui com complexo de vira lata e que, de fato, não conseguem superar isso.

Triste. Muito triste!

Henrique disse...

1º: O Brasil JAMAIS entraria em uma guerra, JAMAIS mesmo. Além de o povo brasileiro ser pacífico, não tem arsenal que preste.

2º: Não adianta fazer o Brasil ser o todo poderoso economicamente e militarmente, iriamos apenas virar um segundo EUA, nossa mente ia ser corroída pelo estigma de "somos uma potência, os outros são imprestáveis"

3º: Lula tem a maior influencia atual no mundo hoje, derrubou o G-8, colocou o G-20, negociou com todas as nações do mundo (acham que ele vai viajar atrás de sombra e água fresca?). O acordo com o Irã trouxe muita polêmica, mas o fato é que o Lula sabe o que faz. Ele fez o Brasil ser uma nação que faz os outros países terem medo na base do jogo de palavras, sem necessidade do uso da ameaça. Você nunca irá conquistar alguém na base do medo, pode até controlar, mas conquistá-lo e torná-lo seu aliado jamais. Negociar com o Oriente Médio é a melhor maneira de evitar uma guerra, nós negociamos com o mundo todo, somos neutros, não batemos, nem corremos, apenas assistimos de camarote os conflitos mundiais.

4º: Sei lá se isso vai ajudar, mas aqui resume bem sobre o Lula:

http://francohablando.blogspot.com/2010/05/essa-vai-para-os-anti-lula.html

Enfim, é isso.
Bom blog viu cara, tá de parabéns

Anônimo disse...

se estourar guerra a culpa é do Lula

J. Neto disse...

Olá @Henrique! Seja bem vindo.

Concordo com seus argumentos. E é isto mesmo. Somos um país com diferencial, pois sabemos ser diplomatas. Negociamos com vários países do mundo e damos o exemplo que as ditas potências maiores deveria dar - e não dão. Isto incomoda.

Vou ver o link que me mandou. Abraços.

Mari disse...

Com erros e acertos, bem ou mal, Lula fez o que muita gente só tentou. Esse diálogo é muito mais do que se tinha conseguido até agora com sansões e ameaças. O Irã não é nenhum exemplo de bom país, e pode sim sacanear futuramente, mas de fato o que temos no presente é um acordo que consegue acalmar os ânimos de todos envolvidos. Entrar em Guerra, acho dificil do Brasil entrar por todas as questões colocadas nos outros posts, mas isso nao impede que cresça e se destaque no cenário internacional como vem acontecendo. Quanto aos Eua, tem que ficar de boa pq não tem moral nenhuma pra querer impor alguma coisa, até hje só soube praticar seu imperialismo sem se preocupar com o resto do mundo. É uma pena não termos um bom candidato a substituto do Lula pra continuar esse trabalho...

CL disse...

tenho uma eterna admiração pelo lula acho todos os benfeitos dele os melhores realmente como tem em outros comentarios ele fez o que muito so "tentaram" acho que seu ultimo comentario sobre os Estados Unidos foi um pouco "seco" em questao de conteudo o ira tem sim armas atomicas que foram entregues
pelos EUA a muito tempo atraz isso e questao de HISTORIA

Postar um comentário

- Comente, é sempre bom saber sua opinião.
- Comentários ofensivos ou mal educados não serão publicados.
- Comentários anônimos serão publicados se relevantes.
- Para criticar, sugerir ou elogiar, vá aqui.