Boris Casoy: "Isto é uma vergonha!"

Repercutiu muito mal a declaração do jornalista Boris Casoy acerca de uma peça publicitária, onde garis desejavam um Feliz Ano Novo, na TV Bandeirantes. Ficou evidenciada, realmente, uma opinião de tom preconceituoso, algo que a sociedade, em sua imensa maioria, repudia.

Boris Casoy

Particularmente, eu nada tenho contra o sr. Boris Casoy e penso que, a atitude adotada por ele de pedir desculpas 'no ar' e reconhecer a infelicidade de seu ato era o máximo que ele próprio poderia fazer. Creio que nenhum ser humano é obrigado a gostar, ou ter predileção, por nenhum grupo étnico: homossexuais, idosos, etc. Contudo, respeitá-los publicamente, isso sim, é obrigatório. Está na lei.

Cabe somente à direção da Band tomar a decisão que eles entenderem mais apropriada, e aos cidadãos garis que participaram da publicidade ingressar com uma ação judicial para reparar os danos morais. Democracia é isso. Não livra ricos, nem pobres.

5 Comentários:

Valéria de Oliveira disse...

Nossa, logo vindo do Borys? Esta eu perdi... Que chato para um Sr da Comunicação, jornalista e cidadão que deve passar uma imagem oposta desta atitude para a sociedade... Maaaaaas enfim...

BJ

@philipsouza disse...

So sei Neto que ele se deu mal...postei sobre isso tmb..e olha para da uma acordada se ainda nao existe preconceito por classes....se ele nao quisesse falar nao pensava nisso ..mas o fez..e uma desculpa nao tira o que ele ocasionou no Brasil..ainda mais ele tao critico...

abraçao

Daniel disse...

Foi uma declaração infeliz, contudo, concordo com você que a declaração pública de desculpas era o máximo que poderia fazer. Tem texto novo no Sub Mundo. Um abraço.

http://submundosemmim.blogspot.com

Fábio Mayer disse...

Encaro isso aí como manifestação do preonceito contra que trabalha.

Particularmente, tenho preconceito contra quem vive de trabalhar 6 meses e "fazer acordo" pra sacar o FGTS, receber seguro-desemprego e viver com bolsa-família, conheço dúzias de vagabundos assim, por ter um escritório de contabilidade onde se faz RH de pequenas empresas.

Mas quem trabalha merece é respeito, sendo gari ou advogado, lixeiro ou contabista, servente ou apresentador de TV.

O Sr. Casoy atentou contra o trabalho honesto, isso sim!

Irene disse...

vi varios comentarios sobre este caso e preconceito é sempre ruim

nessa história toda, eu só lamento a publicidade do preconceito com pessoas que ajudam e muito na organização da sociedade

pedir desculpas, foi um ato de humildade....mas que a magoa fica, isso não podemos negar

abraços !

Postar um comentário

- Comente, é sempre bom saber sua opinião.
- Comentários ofensivos ou mal educados não serão publicados.
- Comentários anônimos serão publicados se relevantes.
- Para criticar, sugerir ou elogiar, vá aqui.