O quinto dos infernos - parte II

A origem da expressão "quinto dos infernos" vem do século 18, quando o Brasil pagava um alto tributo a seu colonizador - Portugal, o qual incidia sobre tudo o que era produzido em nosso país e correspondia a 20% da nossa produção (principalmente ouro). Essa taxação altíssima e absurda era conhecida por 'o quinto', e era tão odiada pelos brasileiros que foi apelidada de o quinto dos infernos.

A carga tributária no Brasil é enorme
Naquela época, a coroa portuguesa quis, em um determinado momento, cobrar os quintos atrasados de uma única vez. Houve uma revolta dos brasileiros e o fato, que ficou conhecido como derrama, gerou a inconfidência mineira, que resultou na prisão e morte de Tiradentes.

Atualmente, de acordo com o IBPT, a carga tributária brasileira gira em torno de 38% ao ano, e é equivalente a 2/5 da nossa produção. Como toda essa dinheirama arrecadada não se transforma (e nem se converte) em bons serviços públicos à população, estamos pagando o dobro dos impostos daquela época. Ou seja, estamos pagando 'dois quintos dos infernos'.

Tiradentes foi considerado traidor, mas virou herói nacional. Nós aqui, bancamos cartões corporativos, mensaleiros, atos secretos, auxilio-moradias, sanguessugas, caixa 2, propinas, parentes de parlamentares, corrupção, e uma monte de gente que se acha sabida no congresso (a politicada) que só acumula sujeiras, sujeiras, sujeiras, sujeiras e sujeiras.

Sei que o brasileiro é pacato quando quer mas, um dia desses, lembrando-me daquele movimento Anti-Collor (lembram?), será que já não está na hora de uma nova derrama?

5 Comentários:

Fábio Mayer disse...

Pior do que o índice de carga tributária, é o caos criado para que ela seja sempre elevada. Os regulamentos e leis tributários são feitos de regra geral apenas para aumentar a receita, e nem sempre observando uma lógica com o que se acha ser um sistema. Tratei disto num post desta semana, sobre a prática da substituição tributária, que de exceção está virando regra, apenas para atender interesses excusos do fisco.

Marcos Pontes disse...

Pagar impostos não é problema, o problema é não vê-los voltarem como obras, infraestrutura, educação, saúde, transporte... Os suíços pagam impostos pra burro, mas não reclamam.

Philip Rangel disse...

O mais importante é q nao vemos como eles voltam ne..o Brasil ta o mesmo..pelo menos pra nossos olhos...

abraçao

Janaina disse...

Neto, como vai?Penso numa reforma tributaria pra ontem,beijos.

Patty disse...

Parece que estamos anestesiados com a situação caótica do nosso país.

Um beijo

Postar um comentário

- Comente, é sempre bom saber sua opinião.
- Comentários ofensivos ou mal educados não serão publicados.
- Comentários anônimos serão publicados se relevantes.
- Para criticar, sugerir ou elogiar, vá aqui.