Drogas são uma droga! Livre-se disso!

Depois de sabermos que o Brasil já está entre os 4 países com o maior número de usuários de drogas injetáveis, percebe-se, claramente, que é necessário uma campanha ampla de divulgação e conscientização do uso e dos malefícios das drogas. Hoje, gasta-se muito dinheiro com campanhas para políticos e para partidos políticos, e nada se faz acerca de um tema tão profundo e importante como esse.


Não acredito que o fato de legalizar ou não o uso da maconha venha a favorecer alguém - a não ser as indústrias do narcotráfico. Qualquer que seja a droga, LSD, crack, maconha, ecstasy, heróina, cocaína, anfetamina, cigarro etc, é prejudicial a saúde e prejudicial a uma sociedade. Para isso deveria existir (e deveríamos exigir) maior rigor por parte do Estado no combate aos crimes, além de, evidentemente, uma maior conscientização junto às pessoas.

Se houver maior conscientização sobre o assunto e, tivermos pessoas mais bem educadas socialmente, já será uma boa pois, teremos menos violência nesse país. E dessa maneira, todos nós agradecemos.

Este post faz parte da blogagem coletiva sobre as drogas.
Uma iniciativa da Beatriz do Compulsão Diária (26/06/2009). Participe!

12 Comentários:

C. disse...

Acho que antes de pensar em tratar de drogados, o melhor a fazer é se falar na prevencao. Nao que seja caso perdido depois de virar viciado, mas prevenindo e nao legalizando é que teremos menos ou nenhum drogado. Muito bom ter lembrado desse assunto sweet man.

Como vc tá? Nunca mais o vi no msn, acho me bloqueou né danado?

beijos, bom findi!

Daniel disse...

Também acredito que a melhor forma de se combater as drogas é pelo meio da conscientização. Investimento pesado em campanhas publicitárias são um meio interessante para o meio de tratamento. Um abraço.

http://contesta-acao.blogspot.com

Bea - Compulsão Diária disse...

Muito bom, parabéns pela postagem suscinta e firme

Grata pela participação
Bea

ZEPOVO disse...

Campanha de conscientização?
Polícia na rua, trabalho de inteligencia e traficante na cadeia.
Enquanto as drogas "rolarem" DENTRO DAS PRISÕES e nas COBERTURAS DE LUXO esqueçam de combate-las nas ruas.
Cuba não tem problemas com drogas, a ONU atesta o fato.
Lá não tem distinção entre usuário e traficante, tem droguinha no bolso, está usando, vendendo ou só levando é cana, da braba!

O problema é que todos ficamos com pena do mocinho bonitinho de boa familia que é pego drogadinho na rua, é ele que sustenta o traficante, mas não pode ser preso porque nossas cadeias são horríveis, não é mesmo?

Cejunior disse...

O problema das drogas, lícitas ou não, atinge todos os países, inclusive aqueles que tem legislação muito mais severa do que Brasil. O grande problema é que o tráfico é um grande negócio e os consumidores são, antes de tudo, extremamente fiéis, mesmo sabendo os riscos que estão correndo.

Discriminalizar algumas drogas não ia alterar nada no atual quadro e duvido muito que o governo brasileiro tenha capacidade de prestar assistência a uma quantidade enorme de viciados.

Acho que qualquer medida pede a união e consenso de vários países envolvidos, numa política única e coerente de combate à produção e tráfico das drogas.

Um abração.

A Itinerante - Neiva disse...

Neto,

Parabéns pelo engajamento. Também acredito que toda mudança correta inicia primeiro com a conscientização e os blogs tem hoje um papel importante neste aspecto.

Beijos

Marcos Pontes disse...

Quem defende a descriminalização e/ou a legalização de drogas ou é um ignorante no assunto, ou é mal intencionado ou um irresponsável ideológico, como o governador Sérgio cabral, que prefere ceder à bandidagem do que discutir estratégias demoradas, caras e cruciais para enfrentar de frente o problema.

Philip Rangel disse...

E é uma droga mesmo Neto...eu mesmo ja assistir varias palestras..mas mesmo assim a galerinha tim..nao aprende.....sempre tem os pqs..ne?//
nao sabem o que trara pro seu futuro....


abraçao

Claudinha disse...

Cada um acredita numa abordagem de refrear, seja por conscientização, seja por ações sociais e políticas. É no trabalho conjunto que existem possibilidades de lidar com essa chaga social. Digo isso pq já passei por alguns cursos de capacitação para abordagem da dependência química e isso fica bem claro. Deixo link de um serviço gratuito nascido aqui no sul, q tem apoio do governo mas pouco é divulgado.
http://psicoativas.ufcspa.edu.br/vivavoz/index.php

New disse...

Oiêee!
Comecemos por Brasília, ok?

Tem mimo para o blog aqui: http://esturdio.blogspot.com/2009/06/blog-maneiro.html
Beijos

Mírian Mondon disse...

Oi Neto, prazer em conhecer seu blog!
Parabens pela participaçao objetiva e certeira!
Tambem participo dessa blogagem e será uma alegria receber voce no meu blog Café com Poesia!

Abraços

Janaina disse...

Neto, parab´nes pela sua iniciativa,pois é um assunto complicado.Pesno que descriminalizar não adianta, pois só enriquecerá as indústrias de cigarro.Você não acha que a Souza Cruz não tem um projeto de comercializar a maconha?sem sombra de dúvida.Penso também que teriam que fazer campanhas mas bem chocantes, não do tipo não use drogas.Teria que ser do tipo de um post que escrevi sobre fumo:FUME BASTANTE.Por aí...Um abraço.

Postar um comentário

- Comente, é sempre bom saber sua opinião.
- Comentários ofensivos ou mal educados não serão publicados.
- Comentários anônimos serão publicados se relevantes.
- Para criticar, sugerir ou elogiar, vá aqui.