A cerveja sem crise

Não são apenas os banqueiros que estão fazendo festa no Brasil com o governo Lula, as cervejarias também. Elas não sabem o que significa crise há muito tempo.

Festa dos vips no camarote da Brahma - carnaval 2009
Festa dos vips no camarote da Brahma na Sapucaí

Durante o carnaval tive a oportunidade de saber quanto custa uma hora paga na TV. Sabia que era caro, mas não tanto. Claro que, para as empresas, depende do evento, do ibope, da rede e do horário, se nobre ou não, mas fiquei surpreso. Uma hora da TV Record custou a Ambev, a bagatela de R$ 2,6 milhões, para a transmissão do Carnaval na Marques de Sapucaí no camarote da Brahma, incluindo entrevistas a vips e famosos fazendo a divulgação do seu produto.

R$ 2,6 milhões apenas por 1 hora de transmissão na TV? É mole!...
Como não somos acostumados a raciocinar com milhões vamos simplificar para o milhar: R$ 2,6 milhões divididos dá um total de R$ 43 mil por minuto, ou seja, quase 100 salários mínimos. É grana ou não é?

Um amigo me dizia que, com o assunto "cerveja" é assim: o Zeca Pagodinho deixa o cachê da Brahma lhe levar. A Juliana Paes está com uma boa grana na poupança assim a Skol desce redondo. Aquele baixinho feio da Kaiser pode ficar rodeado de mulheres bonitas e, para fechar o circuito vem a Ivete Sangalo e, aconselha “pegar leve” com a Skin. Existe crise no Brasil?

13 Comentários:

Cris_do_Brasil disse...

Oxi, pelo jeito que crise que nada.
Eu tenho uma amiga que é de Recife e apaixonada pelo Sport tb :))

Fábio Mayer disse...

José Serra aproveitou uma cochilada do lobby do tabaco e acabou com a publicidade de cigarros no Brasil e desde então, o país gasta cada vez menos com o sistema de saúde que atenda a fumantes. E fuma-se cada vez menos no Brasil.

Já a cerveja é o contrário. O consumo aumenta em proporção maior que o do aumento da população ativa e o número de pessoas viciadas aumenta exponencialmente. Virou um problema colossal de saúde pública!

Eu odeio cerveja, sou suspeito para falar mas, as cervejarias vendem esse lixo associando-o à beleza, ao sucesso com o sexo oposto e à alegria.

Mas na verdade, vendem adolescentes alcoólatras, desajustados sociais, mortes estúpidas no trânsito, violência doméstica contra mulheres e o desperdício de TRILHÕES de reais em serviços de saúde e segurança pública, quando não limpeza, se considerarmos a quantidade de bebuns que urinam nas ruas, como o Recife (por exemplo) infelizmente tem que aguentar nos dias de carnaval.

Na frente da minha casa, um grupo de adolescentes de não mais de 18 anos de idade média sentou-se na praça e bebeu a tarde inteira, entrando pela madrugada adentro. De madrigada, de desentenderam e mataram um de seus pares. E bebiam cerveja, a que desce redondo. Tudo bem que não era só cerveja, mas esta é a porta de entrada para a cachaça, e da cachaça à maconha e da maconha ao crack, e disso, à incomodar toda a sociedade.

É preciso proibir a publicidade de cerveja, e urgente!

A Lei Seca é reflexo da necessidade da sociedade coibir o abuso da publicidade, que o Congresso Nacional não ataca pelo poderoso lobby das cervejarias. Não ataca diretamente, acaba fazendo-o indiretamente, para não incomodar quem financia campanhas.

Mas tá na hora de raducalizar e PROIBIR completamente a publicidade de cerveja, assim como é altamente elogiável proibir o consumo de álcool antes de dirigir e a venda de álcool nos estádios de futebol.

Queira Deus, o lobby dê outra cochilada e o Brasil acabe com essa vergonha nacional!

J. Neto disse...

Fábio, concordo com você.

E parabenizo-o por ter entendido a mensagem que eu quis passar no texto. Propaganda de cerveja desa maneira virou um problema social e de calamidade pública.

O pior não é o fato de acontecerem acidentes com tantos jovens que bebem, é o fato de ninguem querer saber porque essas coisas acontecem. Não entenderem que isto é resultado do apelo e de forte DIVULGAÇÃO de comerciais na TV que, incentiva a todo tipo de desordem, crimes e vem disfarçado de 'beleza' e 'glamour'.

E, infelizmente, enquanto houverem no Brasil 'juízes' envolvidos com politica e os politicos envolvidos com lobbistas tudo isso parece que não acabará. Resultado das frouxas leis que temos e, as vezes, de leis nenhuma.

Atacam-se os fatos mas não as causas dele.

Abraço

Lis disse...

Crise?Não existe crise!!Mas eu vejo crise quando jovens morrem no transito porque o motorista estava alcoolizado,quando não é possivel participar de uma festa sem cervejinha porque ela "descontrai" as pessoas e não tem graça ser vc mesmo em uma balada!!Porque a bebida passou a ser a muleta de muitos nesta vida: Bebe quando se está triste,bebe porque está alegre.Qualquer motivo serve para beber e a grande maioria das pessoas fogem para ela como refúgio e pensam o seguinte:"é pra tudo descer redondo".Sei.Tá na hora de vermos qual é motivação da importância da bebida na sociedade!!Com certeza,as águas são mais profundas!!! Bjus e amei o texto

Manuelle disse...

Neto

Essas propagandas de cerveja na tv transforma aqueles jovens de pouca formação em pessoas inutéis, a partir do instante em que eles se veem e se acham os 'moderninhos' e 'os poderosos' quando bebem, quando fumam ou fazem as mesmas coisas.

Para uma empresas que vendem isso é ótimo, mas para nós, os pais de família que tem que lidar com esses aborrescentes, isto se torna um drama diário. Infelizmente e, como você diz aí, retrato de uma sociedade sem leis nenhuma para essas coisas. Horrível.

abs!

Abraão disse...

E o pior ainda é que tem gente que escolhe marca de cerveja: só bebe de um tipo.

Abraço

Lunna disse...

Olha, quando a mim, eles podem gastar milhões e não vai fazer a menor diferença pra mim. Não tomo cerveja, só água e suco...
E olha que eu nem sabia que a Record transmitia carnaval, ela não é uma emissora santa? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Éverton Vidal disse...

Fala Neto!
Caramba também não imaginava que eratanto. 100 mil salários mínimos por minuto. E estamos falando de uma hora da ambev na Record. Mano é um exagero que surpreende, até choca. Eu tenho que assinar embaixo do post do Fabio. Não em tudo, é claro. Acho que ele pega pesado ao falar em proibição. Afinal, as demais drogas estão aí pra provar que a proibição só gera uma atração e em alguns casos chega a potencializar o problema. (Isso sem contar que tem gente que bebe com responsabilidade). Mas ele está certo quando trata de traçar limites à publicidade de cerveja e quando diz que é "altamente elogiável proibir o consumo de álcool antes de dirigir e a venda de álcool nos estádios de futebol".

Abraço.
Inté!

Philip Rangel disse...

Meu amigo....fico muito agradecido por vc ter participado da Maquina do tempo no Entrando Numa Fria..momentos esses unicos de aprendizagem.....agradeço por tudo...e por se fazer presente sempre...


Sempre sera assim ne Neto..qm tem ...tem..qmnao tem morre ai com essa puta crise....
affe...

abraçao

Patty disse...

Não deveria existir propaganda de cerveja na tv. Quem gosta de beber não precisa de estímulo para isso, mas temos aí muitos adolescentes que começaram a beber por causa das tais propagandas.

Um beijo e ótima semana pra você!!!

Rogerio disse...

Olá Neto
Discordo do Fábio.
E vou elencar os motivos:
1 - Já é provado que proibir qualquer manifestação como essa (propaganda de TV) não vai trazer essa paz que se propoe. Quanto mais proibitivo mas a curiosidade das pessoas busca o assunto. E acaba por influenciar mais ainda o gosto pelo proibitivo.

2 - Notei uma certa emoção nas palavras dele. Não se deve tomar nenhum tipo de decisão de forma emocional. Antes de se manifestar em nível nacional (e a internet está em nível nacional, não está?) as pessoas deveriam pensar melhor no que dizem. Se há insatisfação com o ambiente onde mora seus que se mude. Eu mesmo fiz isso a uns anos atras quando passei por situação semelhante com jovens vizinhos. Ninguem nos obriga a morar onde não se deve morar. Aprendi que criticar e criar pejorativos é que não acrescenta nada a questão.

Tenho um filho adolescente e, graças a educação que dou a ele, não tenho motivos com que me preocupar com os jovens.

J. Neto disse...

Olá Rogerio! Você leu o texto do Fábio?
Em momento algum notei ele falar alguma coisa neste sentido. Talvez você não o tenha lido direito.

A internet é ótima Rogério, pois é um ambiente democrático onde todos podem emitir opinião e pode haver quem concorde e quem não concorde com essas opiniões, mas tudo deve ser feito de forma respeitosa. Nem sempre eu concordo com ele, mas neste 'assunto', eu aprovo.

Abraços, e seja sempre bem vindo por aqui! :)

Fábio Mayer disse...

Sou ativista contra a propaganda de álcool e cigarro, e principalmente contra o fornecimento, facilitação ou insinuação de seu consumo para jovens e adolescentes.

Se o indivíduo é adulto e quer beber, tudo bem, desde que o faça em lugar fechado, porque beber na rua, como se faz no Brasil, é publicidade do álcool do mesmo jeito, e de graça para as empresas.

Mas propagandas que insinuam sucesso com sexo oposto e alegria, são claramente para atingir jovens, ou seja, futuros clientes, pessoas aliciáveis por sua pouca experîência e especialmente por serem fáceis de viciar, posto que ainda não conhecem limites, ainda precisam experimentar fatos da vida para formar seu caráter.

A propaganda atinge a todos, mas impressiona bem mais aos jovens e o aumento exponencial do consumo de álcool encontra-se entre eles. Se isso não for atacado depois não se venha reclamar da falência dos serviços de saúde, da violência e do caos urbano.

Não sou eu quem digo, são as estatísticas, todas elas acima de 50%, demonstrando a responsabilidade de pessoas alcoolizadas por:

a) acidentes de trânsito;
b) violência doméstica;
c) homicídios que são esclarecidos.

O tom do que escrevo pode parecer emocional, mas o assunto não é. Se existem pais que ensinam seus filhos e conseguem impedi-los de beber antes dos 18, aplaudo a eles.

Mas a imensa maioria das pessoas entra nessa vida de álcool e as vezes coisas piores justamente por achar bonito, porque, sinceramente, quando se é meio criança, meio adulto, beber algo amargo como cerveja não é por prazer, é apenas por influência externa.

Se os pais não são competentes como o senhor que comentou aqui em cima é (pois seus filhos são educados e bem instruídos por ele), o fato é que a sociedade toda paga por isso. E o senhor Rogério é uma exceção, sua família é bem estruturada e ele entende a necessidade de instruir seus filhos, o que não é regra entre as demais familias.

Logo, eu sou favorável à proibição completa de publicidade de álcool. Como seu favorável à criminalização do ato de beber e dirigir, pois constitui crime de risco para terceiros.

Mas da mesma forma que sou favorável a esses atos restritivos, também sou favorável a que o Estado assuma os custos de recuperação desses viciados em álcool.

Radical ou emocional seria eu dizer dar as costas para a minha casa e mudar para outra onde não veja jovens bebendo e incomodando. Mas isso não adiantaria porque, se eu sair domingo verei jovens alcoolizados bebendo e incomodando do mesmo jeito em parques, nas ruas, em bares e cinemas, todos eles iniciados no consumo de álcool, por erradamente associá-lo à alegria mostrada nas publicidades.

Postar um comentário

- Comente, é sempre bom saber sua opinião.
- Comentários ofensivos ou mal educados não serão publicados.
- Comentários anônimos serão publicados se relevantes.
- Para criticar, sugerir ou elogiar, vá aqui.